Vincent Bernard - Luis XVI pdf

 Vincent Bernard - Luis XVI pdf 



Apresentação
Se fosse verdade que a história é sempre escrita pelos vencedores, a
imagem dos vencidos transmitida à posteridade seria, em si, o produto de
uma historiografia marcada – para sempre? – pelo resultado das grandes
convulsões coletivas.
Fazer como se a história não tivesse acabado de uma vez por todas e
querer voltar às representações alteradas que ela nos lega é uma tarefa
particularmente desconfortável. É, no entanto, dever do historiador e do
biógrafo tentar fazê-lo, contanto que não ceda à tentação maléfica do
revisionismo.
Neste livro, meu objetivo será, portanto – ao tentar, nos limites do
possível, imaginar-me no lugar e na posição do personagem –, buscar a
verdade de Luís XVI por trás do espelho deformador da história e da
historiografia republicanas. Esse monarca foi censurado por tudo – tudo e
seu contrário: por ter favorecido a Revolução e ter-se oposto a ela, por ter
sabido acomodar-se aos novos tempos e ter encabeçado conflitos
ultrapassados. Sem dúvida existe verdade nessas duas maneiras de abordar
o personagem, mas também é preciso levar em conta a complexidade das
coisas – a do indivíduo, que era grande, e a da época, que não o era menos.
Na verdade, não nos contentamos em cortar a cabeça deste rei da França:
nós o matamos uma segunda vez, ao apagar uma boa parte do que ele foi
como rei e como pessoa e ao jogar no cesto, ao mesmo tempo que sua
cabeça, toda uma parte do que ele foi e fez. Ao escrever isto, penso, mas
não unicamente, em seu extraordinário engajamento a favor da revolução
americana.
Ele tem vinte anos ao subir ao trono, 21 quando começa a guerra da
Independência, 27 no momento da vitória de Yorktown, 35 quando eclode a
Revolução Francesa, 39 no ano de sua decapitação. A imagem deformada
de Luís XVI – geralmente representado como um ser envelhecido antes do
tempo, pequeno, obeso, introvertido, sem envergadura, inconstante e
inconsistente, bonachão, pouco inteligente, indeciso e fraco – desempenha
historicamente, mas em sentido inverso, o mesmo papel que a imagem
deformada de George Washington nos Estados Unidos: uma é diabolizada;
a outra, divinizada –, as duas são irreais. A cortina de fumaça é tão espessa
entre essas representações e o que elas têm por função mascarar que tentar
ver claramente de outra forma, sem para tanto deformar as coisas no sentido
contrário, é não apenas um desafio, mas uma espécie de sacrilégio. É, em
todo caso, tratando-se de Luís XVI, o desafio que esta obra se propõe
recuperar.

Download pdf 





Ahmed Zayed

Hello all My name is Ahmed Zayed I am Egyptian.I am very interested about languages, animals,Drawing,Comics and history also I like to write a short stories about our lives I am writing because I would like to share what I am thinking about with people who even far from me and for me this the way that people can communicate so finally I could bring my books over here I wish that every one will read will like and I will support u with many more books I am waiting for your feed back

Postar um comentário (0)
Postagem Anterior Próxima Postagem