Verdete Carlos - Historia da Igreja - das orignes até o cisma do oriente (1054) pdf

 Verdete Carlos - Historia da Igreja - das orignes até o cisma do oriente (1054) pdf 



Apresentação da colecção
Uma exposição resumida da História da Igreja deve procurar uma
certa homogeneidade nos critérios utilizados para a apresentação
dos acontecimentos. Quando nos referimos à apresentação sucinta
da História da Igreja, pensando especialmente na formação de
adultos, temos de distinguir criteriosamente os acontecimentos mais
importantes dos menos importantes, acentuando alguns aspectos
dos factos históricos e apontando apenas outros. Impõe-se-nos a
arte de seleccionar com acerto e censo histórico, fazendo com
critério a selecção das matérias mais importantes para a formação
de um leigo adulto.
A obra que coordenamos e agora apresentamos está dividida em
três volumes: o primeiro volume refere-se ao primeiro milénio
cristão, das origens do Cristianismo até ao Cisma do Oriente em
1054; o segundo volume refere-se ao segundo milénio da História
Cristã, até final do Pontificado de Leão XIII (1903). Reservamos o
terceiro volume para a História recente, ou seja, o sé-culo xx e o
início do século xxi. Pareceu-nos bem incluir no terceiro volume um
conjunto de “temas úteis” como os Papas da Igreja Católica, uma
lista dos Papas, o Estado Pontifício, o Colégio Cardinalício, o
Primado Romano, a doutrina dos dois poderes e a síntese histórica
de cada um dos concílios ecuménicos.
É evidente que a selecção que fizemos sobre as matérias parte de
juízos subjectivos de acordo com a nossa compreensão da História
e da Igreja. Podemos estar certos de que a falta de homogeneidade
é não só inevitável, como por vezes necessária, pois a história é o
passado que chega vivo ao presente, pelo historiador que lhe dá
vida, segundo o olhar do seu juízo. Para algo ser histórico não
depende apenas da sua existência histórica, mas também das suas
repercussões históricas. Expor em síntese dois mil anos de História
da Igreja é um projecto sedutor. Porém, a necessidade de
seleccionar os acontecimentos face aos objectivos da obra coloca
muitas vezes o autor em angústia e dúvida. A enorme quantidade de
factos e a vasta riqueza das fontes bibliográficas exige grande
ponderação e “humildade científica”. O autor desta útil publicação,
Carlos Verdete, soube-o fazer sempre com a colaboração do
coordenador desta colecção.
O futuro do Cristianismo parece-nos depender mais do que nunca
da sua unidade, da capacidade de superarmos os problemas
intelectuais e espirituais que a pluralidade das nossas experiências
de adultos cristãos colocam. A História da Igreja deixa-nos a certeza
de que ao longo de vinte séculos esta instituição, apesar de
demonstrar grandes progressos e enormes debilidades, permanece
fiel à sua essência e infalível ao núcleo da Fé, resistindo às
“ditaduras dos diferentes relativismos”. É com a luz da Fé que
captamos a finura dos sinais de Deus na História da sua Igreja,
onde fala através do sentido das coisas e dos acontecimentos. A Fé
com que lemos a História da Igreja não surge separada da crítica
histórica. É nesta convergência de olhares e saberes que a História
da Igreja se converte também em Teologia.
A História da Igreja ajuda os cristãos a formarem um conceito
justo da Igreja, impedindo um falso espiritualismo ou volatização da
Igreja real. A História mostra que a Igreja tem um corpo que é visível
e que a partir da sua experiência vivida ao longo dos séculos, deve
ser superada a falsa distinção entre Igre-ja “ideal” e Igreja “real” e
aprofundado o entendimento da única Igreja – Igreja Una – que é ao
mesmo tempo instituição divina e humana (fruto do crescimento
histórico) e invisível, que só se pode captar pela Fé, e visível, que se
pode comprovar pela História.
O conhecimento da História da Igreja dá-nos ainda a sabedoria da
verdadeira santidade da Igreja, evitando falsos entendimentos dessa
santidade. A Santidade da Igreja aparece objectiva e não exclui a
pecaminosidade dos seus membros, incluindo dos seus pastores.
De facto, a Santidade da Igreja vem-lhes da divindade do seu
fundador e esta não diminui pelos pecados dos seus membros.
A História da Igreja é um dos melhores instrumentos para nos
fazer com-preender a verdadeira dimensão da Fé Católica: a sua
riqueza e a sua verdade. Fé que respondeu às exigências mais
profundas e sérias de tantas personalidades espalhadas por todas
as épocas e lugares e que impulsionou insuperáveis realizações aos
mais elevados níveis do ser humano.
A cultura do actual Ocidente continua a apresentar-se com muita
frequência hostil e estranha à Igreja. Porém, em grande parte esta
cultura baseia-se nos valores cristãos e foi criada pela Igreja. Não é
sério e honesto ignorar historicamente as raízes cristãs da Europa
ou pretender compô-las a qualquer uma das outras presenças
espirituais e religiosas de passagem pelo Ocidente. Como membros
da Igreja, os leigos católicos sentem a necessidade natural, e até o
dever, de conhecerem a História da Igreja a que pertencem, como
família sobrenatural.
O estudo da História da Igreja rege-se pelos mesmos critérios da
crítica histórica que rege toda a ciência histórica autêntica. Assim, a
História da Igreja não pode ser deduzida dos ideais, nem sequer da
revelação, mas deve ser descoberta com fidelidade nos
acontecimentos que decorreram sem a intervenção do historiador,
procurando lê-los com objectividade e racionalidade, diferenciandose
da ciência puramente natural, pelo facto de a História da Igreja
permanecer aberta à possibilidade da intervenção de Deus na
História, verificando que muitas vezes “Deus escreve direito por
linhas tortas”. De facto, pretender eliminar da História da Igreja as
suas diversas debilidades, deficiências e tensões seria equivalente a
dispensar a misericórdia de Deus sobre ela, prescindindo da sua
obra de salvação. O Cristianismo reduzir-se-ia a um humanismo
apenas e a salvação operada por Nosso Senhor Jesus Cristo seria
dispensável.

Download pdf 



Ahmed Zayed

Hello all My name is Ahmed Zayed I am Egyptian.I am very interested about languages, animals,Drawing,Comics and history also I like to write a short stories about our lives I am writing because I would like to share what I am thinking about with people who even far from me and for me this the way that people can communicate so finally I could bring my books over here I wish that every one will read will like and I will support u with many more books I am waiting for your feed back

Postar um comentário (0)
Postagem Anterior Próxima Postagem