William Shakespeare - A Megera Domada PDF

 


Conta a história de Catarina, uma mulher que não pretende se submeter aos homens em função do casamento. Com sua língua ferina, afasta todos os pretendentes, deixando desesperada sua irmã Bianca que precisa esperar a a irmã se casar para poder também escolher um pretendente. Até que surge Petrucchio, um grosseirão disposto a tudo para conquistar o dote de Catarina. Cheia de reviravoltas, a peça discute amor e casamento, tornando a obra atual até hoje.

William Shakespeare - A Megera Domada PDF 

ENA I
Diante de uma cervejaria numa charneca.
Entram a Hoteleira e Sly.
SLY — Juro que vou dar-vos uma surra.
HOTELEIRA — Estás precisando de um tronco, vagabundo!
SLY — Sois uma sem-vergonha: os Sly não são vagabundos. Olhai nas
crônicas; chegamos com Ricardo, o Conquistador. Logo paucas pallabris1,
deixai o mundo rodar: Cessa²!
HOTELEIRA — Não quereis pagar os copos que quebrastes?
SLY — Não, nem um centavo³. Por São Jerônimo, sai daqui; vai para tua
cama gelada e aquece-te lá!
HOTELEIRA — Conheço o remédio. Vou buscar um guarda. (Sai.)
SLY — Podes ir buscar um, dois, três que eu lhes responderei com a lei
na mão4; não arredarei uma polegada; que venha e com delicadeza! (Deitase
no chão e dorme. Soam as trompas de caça. Entra um Lorde, vindo da
caça, seguido por Caçadores e Criados.)
LORDE — Caçador, encarrego-te de cuidar bem de meus cães,
principalmente de Buliçoso; o pobre animal está muito inchado! Prende o
Nebuloso com a cadela de latido profundo. Não viste, rapaz, corno o
Prateado se portou bem no canto da sebe quando o rasto foi de todo
perdido? Não quero perder este cão nem por vinte libras.
PRIMEIRO CAÇADOR — Ora, o Carrilhão é tão bom quanto ele,
milorde; latiu à menor perda da caça e hoje, por duas vezes, encontrou a
pista mais difícil. Acreditai-me, é o melhor cão.
LORDE — És um imbecil. Se Eco fosse mais um pouco rápido, eu acho
que valeria doze iguais a Carrilhão. Mas providencie para que comam bem
e cuide deles todos. Quero caçar amanhã de novo.
PRIMEIRO CAÇADOR — Está bem, milorde.
LORDE — Que é isso? Está morto ou embriagado? Vê, está respirando?
SEGUNDO CAÇADOR — Está respirando, milorde. Se não estivesse
esquentado pela cerveja, seria uma cama bem fria para dormir tão
profundamente.
LORDE— Que monstruoso animal! Parece um porco dormindo! Ó
morte sinistra, como é vergonhosa e repulsiva a tua imagem!... Meus
amigos, quero divertir-me com esse bêbado. Que achais? Se fosse
transportado para um leito, envolvido em lençóis macios e se acordasse com
anéis nos dedos, um deliciosíssimo banquete ao lado da cama, e perto dele
solícitos servidores ao seu redor quando despertar, não esquecia o mendigo
sua própria condição?
PRIMEIRO CAÇADOR — Certamente, milorde, creio ele não pode
escolher.
SEGUNDO CAÇADOR — Ficará espantadíssimo quando acordar.
LORDE — Como de um sonho enganoso ou de uma vã fantasia...
Levantai-o, pois, e combinaremos bem a brincadeira. Transportai-o
cuidadosamente para meu mais belo quarto e enfeitai-o com meus quadros
mais licenciosos. Perfumai-lhe a asquerosa cabeça com cálidas águas
perfumadas, e queimai madeiras odoríferas para perfumar o aposento.
Procurai-me músicos que, quando ele despertar, deixem ouvir uma melodia
doce e celeste. Se por acaso falar, estai dispostos a cumprir-lhe as ordens e
respondei fazendo uma respeitosa reverência: “Que deseja Vossa
Excelência?” Um de vós se apresentará com uma bacia de prata cheia de
água de rosas e juncada de Flores. Outro trará um jarro; um terceiro, uma
toalha adamascada e dirá: “Vossa Senhoria deseja refrescar as mãos?” Um
outro já lhe esteja à disposição com um rico guarda-roupa e lhe pergunte
com que traje ele deseja vestir-se. Fale-lhe outro dos cães e cavalos e da
esposa que se encontra desolada vendo-o doente. Persuadi-o de que esteve
lunático' e se afirma ser o que é, respondei-lhe que ele sonha, porque é nada
menos do que um poderoso senhor. Fazei assim, amáveis senhores, e fazei-o
com jeito. Será a brincadeira mais engraçado do mundo, se vos conduzirdes
com discrição.
PRIMEIRO CAÇADOR — Milorde, garanto-vos que representaremos
tão bem nosso papel, que nosso leal zelo o fará acreditar daquilo que lhe
dissermos.
LORDE — Levai-o cuidadosamente e colocai-o na cama; e quando
acordar, cada um deverá estar a postos. (Saem Servidores levando Sly. Soa
uma trombeta'.) Rapaz, vai ver que trombeta é esta que está tocando. (Sai
um Criado.) Sem dúvida, algum nobre gentil-homem que, viajando por
etapas, deseja aqui descansar. (Volta o Criado.) Então? Quem é?
CRIADO — Com a permissão de Vossa excelência, são comediantes que
estão oferecendo serviço a Vossa Senhoria.
LORDE — Dize-lhes que entrem. (Entram os comediantes.) Então,
camaradas? Sede bem-vindos!
COMEDIANTES — Estamos muito agradecidos a Vossa Excelência.
LORDE — Pretendeis passar a noite comigo?
UM COMEDIANTE — Se Vossa Senhoria quiser aceitar nossos
serviços.
LORDE: — Com todo meu coração. Lembro-me desse rapaz desde uma
vez que o vi representar o papel de primogênito de um fazendeiro. Era uma
peça em que fazíeis admiravelmente bem a corte a uma nobre dama. Não
me lembro de vosso nome, mas sem dúvida o papel foi habilmente marcado
e naturalmente representado.
UM COMEDIANTE— Creio que Vossa Senhoria queira referir-se a
Soto7.
LORDE — É isso mesmo, estavas excelente. Bem, chegais na hora
certa. Tanto mais a propósito porque estou preparando uma brincadeira na
qual podeis prestar-me um grande serviço. Há aqui um lorde que vos verá
representar esta noite; mas tenho dúvidas de vossa atitude; temo que,
notando-lhe a atitude estranha (porque Sua Excelência nunca assistiu a uma
peça), sereis tomados de algum acesso de alegria, e que ele se sinta assim
ofendido. Porque, posso dizer-vos senhores, se notar que estais rindo, ficará
zangado.
UM COMEDIANTE — Não temais, milorde; saberemos conter-nos,
ainda que fosse ele a pessoa mais ridícula do mundo.
LORDE — Vamos, rapaz, leva-os para a copa e dá a cada um deles uma
cordial boa-vinda. Que nada lhes falte de quanto minha casa possa fornecer.
(Sai um Criado com os Comediantes.) E tu, vai procurar meu pajem
Bartolomeu, e dize-lhe que se vista dos pés à cabeça como uma dama8.
Feito isto, leva-o para o quarto do bêbado, chama-o de “senhora” e
testemunha-lhe a maior obediência. Dize-lhe de minha parte que, se quiser
conquistar minha amizade, tome nobres atitudes como já terá tido ocasião
de observar nas grandes damas diante dos maridos. Que se mostre
respeitoso com o bêbado; fale-lhe recatadamente, em voz baixa, com
humilde cortesia, e lhe diga: “Que se digna Vossa Excelência ordenar?”
“Em que pode vossa dama, vossa humilde esposa, mostrar seus deveres e
testemunhar seu amor?” E em seguida, com ternos abraços e beijos
tentadores, inclinando a cabeça sobre o peito dele, deixe correr lágrimas de
alegria vendo seu pobre senhor restabelecido, pois durante sete anos não se
julgou sempre melhor do que um miserável e imundo mendigo. E se o rapaz
não tiver o dom das mulheres, de deixar cair à vontade um dilúvio de
lágrimas, uma cebola conseguirá perfeitamente imitá-las, a qual,
cuidadosamente escondida num guardanapo, dar-lhe-á, mesmo que não
queira, um olhar lacrimejante. Que tudo isto seja feito com a maior rapidez
que puderes. Daqui a pouco te darei mais instruções. (Sai um Criado.)
Estou certo de que o rapaz usurpará perfeitamente a graça, a voz, o porte e o
andar de uma dama de qualidade. Estou ansioso para ouvi-lo chamar o
bêbado de esposo e para ver como meus servidores conterão o riso quando
prestarem homenagem a esse simples rústico. Vou dar-lhes conselhos.
Felizmente, minha presença bastará para conter o excessivo bom humor
que, de outro modo, passaria dos limites aconselháveis. (Saem.)

Download


Ahmed Zayed

Hello all My name is Ahmed Zayed I am Egyptian.I am very interested about languages, animals,Drawing,Comics and history also I like to write a short stories about our lives I am writing because I would like to share what I am thinking about with people who even far from me and for me this the way that people can communicate so finally I could bring my books over here I wish that every one will read will like and I will support u with many more books I am waiting for your feed back

Postar um comentário (0)
Postagem Anterior Próxima Postagem